Menu
Carrinho 0

Carta manuscrita de Gabriel Auguste Daubrée (1874)

Até 3x sem juros, frete grátis, com certificado de autenticidade

  • R$ 975,00


O famoso mineralogista francês Auguste Daubrée, grande amigo de Dom Pedro II, participa da formação do Príncipe Dom Pedro Augusto.

Carta manuscrita de Auguste Daubrée para um destinatário desconhecido. Uma página, frente e verso. Em francês. 11.8 cm x  18 cm. Paris, dia 28 de julho (~ 1874). Excelente estado. Peça única.

O príncipe Pedro, neto do Imperador do Brasil, que tinha se inscrito na segunda-feira passada para uma leitura, só poderá participar a próxima segunda-feira. Já que o Príncipe vai  viajar a mesma noite e não vai poder ver o relatório, ainda que muito sucinto, sobre as notações cristalográficas, o Senhor Secretário Perpétuo seria muito gentil permitir que uma impressão [do relatório] fosse feita e entregue antecipadamente [para o Príncipe]. A. Daubrée.

Em viagem à Europa entre maio de 1871 e março de 1872, o Imperador entrou em contato com seu amigo Gabriel Auguste Daubree (1814 - 1896), famoso geólogo e mineralogista, seu colega na Academia de Ciências de Paris e diretor da Escola de Minas, também na capital francesa. Pediu-lhe um documento sobre a melhor maneira de conhecer e explorar as riquezas minerais do Brasil. Daubrée respondeu para o Imperador algumas semanas depois com uma "nota sobre os meios de conseguir um conhecimento mais profundo sobre o solo brasileiro e de desenvolver a exploração de suas riquezas minerais" e uma outra "nota referente ao ensino da mineralogia e da geologia no Rio de Janeiro".

De volta ao país, em carta pessoal, o Imperador convidou Daubrée a visitar o Brasil destacando os benefícios de sua vinda para o Brasil : "não somente o país ganhará com o maior aproveitamento de suas minas, as ciências naturais, em geral, dela receberão forte impulso." Porém, Daubrée, que acabava de ser nomeado diretor da Escola de Minas de Paris, indicou Claude-Henri Gorceix (1842 - 1919), que Dom Pedro II contratou para organizar no Rio de Janeiro o ensino da mineralogia e da geologia, a partir de 1874. Portanto, Daubrée colaborou fortemente com Gorceix sobre o projeto de escola e ensinou regularmente para Brasileiros até o final do século.

Um dos alunos de Daubrée foi Dom Pedro Augusto (1866 - 1934), príncipe do Brasil, filho mais velho de dona Leopoldina e neto de Dom Pedro II. Tendo herdado o gosto do avô pelos estudos, graduou-se em Engenharia Civil, escreveu trabalhos sobre mineralogia e realizou uma conferência sobre minerais na Academia de Ciências, na França.

Por que esse documento é raro ?

Quem se interessa pela História do Brasil sabe que Dom Pedro II era um intelectual, cuja curiosidade, iniciativas e relações com cientistas ou artistas foram muito importantes para o desenvolvimento científico e cultural do Brasil. Temos aqui um novo exemplo disso com essa carta onde Daubrée, um grande amigo do Imperador (que esteve até presente no funeral dele), se preocupa com a formação do neto "preferido" de Dom Pedro II. Interessante também, a referência às "notações cristalográficas", o campo de expertise de Daubrée. Enfim um documento incomum para os colecionadores especializados em família real brasileira, os amantes de ciências ou os especialistas em mineralogia.


Documentos relacionados


Receba as novidades + Aprenda sobre o mundo fascinante dos documentos raros.