Menu
Carrinho 0

Dedicatória de Tom Jobim (1976)

Até 3x sem juros, frete grátis, com certificado de autenticidade

  • R$ 1.060,00


Em 1976, o gênio da Bossa Nova Tom Jobim presenteia um amigo com uma dedicatória alegre no seu último vinil.

Dedicatória a lápis na contracapa solta (sem a capa, nem o disco, a terceira imagem é apenas ilustrativa) do LP Urubu (1976) de Tom Jobim para o amigo Júlio Rego. Em português. Uma folha dura. 29.6 cm x 30.7 cm. Rio de Janeiro, 21 de agosto de 1976. Papel amarelado, algumas cores originais sumiram e um pequeno rasgo na lateral direita: porém, nada que prejudique os textos e a dedicatória. Estado global excelente. Peça única.

* Nada como asas
Oceano do Céu

Júlio Rego
Você é uma doação
ilimitada a uma
eterna ingratidão
Dá Dá Dá
O segredo da tua 
coragem!!! Fica vivo
para nós!

Teus amigos
Tom Jobim
Rio, 21/8/76

Músico, autor e lendário compositor da bossa nova, Tom Jobim (1927 - 1994) deixou uma marca indelével na música brasileira, no jazz e simplesmente na história da música do século XX. Bossas, sambas, choros e outros ritmos brasileiros, canções populares e ultrassofisticadas do ponto de vista melódico e harmônico, mas também algumas peças de música clássica, suas obras de arte são infinitas : Chega de Saudade (1958), Desafinado (1959) ou Aguas de Março (1972), por exemplo. Produziu mais de 50 álbuns com parceiros musicais impressionantes como Vinícius de Moraes, Chico Buarque, Toquinho, Dolores Duran, Newton Mendonça ou Aloysio de Oliveira.

Tom Jobim se tornou mundialmente famoso em 1963 com uma de suas composições escritas em um bar no Rio de Janeiro : Garota de Ipanema. Esta música, cujas letras originais são de Vinicius de Moraes, teve várias versões, incluindo uma em inglês, interpretada por Frank Sinatra, que fez muito sucesso. Por seu legado, o Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro e uma estátua de bronze do cantor e compositor da famosa Praia de Ipanema, homenageiam Antônio Carlos Jobim, o gênio da música popular brasileira.

Aqui não se sabe exatamente quem era Júlio Rego (provavelmente um tocador de gaita que colaborou com Jobim) nem o significado preciso dessa dedicatória misteriosa, porém algumas partes são conhecidas : 

  • "Nada como asas, oceano do céu" é um trecho da prosa desse álbum Urubu, que apresentou ao público clássicos, como "Lígia" e "Correnteza", regravados depois várias vezes, por grandes nomes da música : Jereba é urubu importante e por isso ganhou muitos nomes.[...]. Nada como asas. Oceano do céu. Urubu-procurador. Urubu-achador. Que sabes do alto o que se esconde no chão da mata virgem e dos muitos perfumes que sobem do mundo. E das vantagens de uma queimada. E o que oferece a autoestrada. Eterno vigia de um tempo imperecível. Guardião de dois absurdos [...]. 
  • E o "(Você é uma) doação ilimitada a uma eterna ingratidão" é um verso do poema "Amar" (1951) de Carlos Drummond de Andrade.

Por que esse documento é raro ?

Tom Jobim é uma das lendas da música brasileira, um dos inspiradores da Bossa Nova : é conhecido mundialmente por suas composições. São extremamente raros os documentos autógrafos dele aparecendo no mercado, essa dedicatória é triplamente interessante : o texto, extenso, traz referências famosas e fica na contracapa de um dos seus discos mais famosos, lançado em 1976, no auge do artista.


Documentos relacionados


Receba as novidades + Aprenda sobre o mundo fascinante dos documentos raros.