Carta manuscrita de Carlos Chagas (1923)

Com certificado de autenticidade

  • R$ 2.500,00


O cientista convida o Presidente Artur Bernardes para o banquete da Fundação Rockfeller e chama atenção para os problemas sanitários do país.

Carta manuscrita de Carlos Chagas a Edmundo da Veiga, com a palavra "urgente" em vermelho. 2 páginas. Em português. 16.9 cm x 22.6 cm. 27 de fevereiro de 1923, provavelmente no Rio de Janeiro. Bom estado. Gostaríamos de agradecer Simone Kropf e Aline Lopes de Lacerda, pesquisadoras da Fiocruz, por sua gentileza em responder nossas perguntas. 

(...) Peço-lhe a fineza de comunicar ao Sr. Presidente que o banquete ao Chefe da Rockefeller Foundation terá lugar no Jockey Club. 

(...) Ficar-lhe-ei ainda muito agradecido pelo obséquio de lembrar ao Sr. Presidente do meu convite para uma visita à exposição geral de higiene do Departamento, oportunidade de S. Excia conhecer de perto os serviços desta repartição e poder bem ajuizar dos grandes problemas sanitários do País, daqueles sobre os quais se deverá especialmente exercitar a atenção do Estado.

Carlos Chagas, diretor do então DNSP (Departamento Nacional de Saúde Pública), trata com Edmundo Veiga, da Secretaria da Presidência da República do governo de Artur Bernardes (1922-1926), sobre o convite ao presidente para um banquete, provavelmente de despedida de Lewis Hackett, então chefe da Fundação Rockefeller, no convênio de cooperação com o governo brasileiro para ações de saneamento e combate a endemias presentes no Brasil. Carlos Chagas também era diretor do Instituto Oswaldo Cruz no mesmo período. Ele aproveita para convidar o presidente para uma exposição sobre higiene organizada pelo DNSP, que naquele momento se empenhava no estabelecimento de postos de profilaxia rural no país, no contexto do movimento sanitarista.

Carlos Chagas (1879 - 1934), médico sanitarista, cientista e bacteriologista, é conhecido mundialmente por ter descoberto, em 1909, o Trypanosoma cruzi  - nome em homenagem ao amigo Oswaldo Cruz - agente causador da doença de Chagas. Em duas ocasiões, em 1911 e 1920, foi indicado ao Prêmio Nobel de Medicina.

Por que esse documento é raro ?

Cartas de Carlos Chagas, um dos poucos cientistas brasileiros conhecidos internacionalmente, aparecem raramente no mercado. Essa peça, manuscrita e com o papel timbrado do Instituto Oswaldo Cruz, apresenta um interesse adicional, já que Chagas, então diretor geral do Departamento Nacional de Saúde Pública, financiado pelos americanos, comenta a situação sanitária preocupante do país.


Documentos relacionados