Pular para as informações do produto
1 de 3

Com certificado de autenticidade e garantia

Carta manuscrita de Emile Zola (1896)

Carta manuscrita de Emile Zola (1896)

Preço normal R$ 0,00 BRL
Preço normal Preço promocional R$ 0,00 BRL
Promoção Tem novo guardião

> Esse item saiu do catálogo, veja aqui os documentos disponíveis <

Emile Zola, o autor do  "Germinal", curioso insaciável, quer descobrir a misteriosa invenção de um conhecido.

  • Carta escrita e assinada por Emile Zola.
  • Uma página.
  • Em francês.
  • 13 cm x 20 cm.
  • Paris, o dia 15 de março de 1896.
  • Bom estado.
  • Peça única.

Paris, 15 de março de 96.

Prezado Senhor,

Agradeço muito a sua informação e, um dia, vou me permitir aceitar seu convite para oberrvar o seu dispositivo em funcionamento. Terei o cuidado de informá-lo com dois dias de antecedência.

Por favor aceite, senhor, a certeza de meus distintos sentimentos.

Emile Zola.

Aqui, Emile Zola agradece o destinatário por algumas informações e expressa a vontade de aceitar o convite para ver "funcionar o aparelho".

Émile Zola (1840 - 1902) foi um dos mais importantes escritores da literatura francesa. Filho de um engenheiro italiano, cresceu em Aix-en-Provence onde ficou amigo do famoso pintor Paul Cezane e, mais tarde, do pintor Edouard Manet. Porém, convencido do seu talento de escritor, decidiu se dedicar a literatura e começou, como jornalista, escrevendo colunas para os jornais, nos quais se mostrou engajado politicamente.

O seu texto mais famoso é a carta aberta intitulada "J'accuse (Eu Acuso)". Publicada na primeira página do jornal parisiense L'Aurore, em 1898. Nela, Emile Zola acusou o governo francês de anti-semitismo contra o capitão Alfred Dreyfus, oficial judeu do exército francês, condenado por traição.

Influenciado pela "Comédia Humana" de Honoré de Balzac, outra grande referência da literatura francesa, Emile Zola escreveu a série "Os Rougon-Macquart", composta por 20 romances, o mais conhecido sendo "Germinal" (1885) que descreve, com detalhes muito precisos, as terríveis condições de vida dos trabalhadores de uma mina de carvão na França.

Nesta carta, cujo destinatário não é identificado, Emile Zola demonstra seu interesse para conhecer uma invenção, aspecto muito importante da personalidade do escritor. Filho de engenheiro e inventor do naturalismo, Zola sempre demonstrou interesse em técnicas novas, pesquisas científicas e invenções, gosto que aparece nitidamente em suas obras.

Ver informações completas

Formulário de contato