Carta manuscrita de Henri Salvador (1941)
Carta manuscrita de Henri Salvador (1941)
Carta manuscrita de Henri Salvador (1941)
  • Carregar imagem no visualizador da galeria, Carta manuscrita de Henri Salvador (1941)
  • Carregar imagem no visualizador da galeria, Carta manuscrita de Henri Salvador (1941)
  • Carregar imagem no visualizador da galeria, Carta manuscrita de Henri Salvador (1941)

Carta manuscrita de Henri Salvador (1941)

Preço normal
R$ 1.500,00
Preço promocional
R$ 1.500,00
Preço normal
Esgotado
Preço unitário
por 

Em 1941, Henri Salvador anuncia, em Cannes, seu famoso tour na América do Sul com Ray Ventura.

Carta manuscrita de Henri Salvador para sua mãe. Em francês. Uma página, frente e verso. 23.3 cm x 18.1 cm. Cannes, 1941. Bom estado. Peça única.

Texto original em francês, traduzido para o português

Eu tenho boas notícias para você. O Sr. Ray Ventura ofereceu-se para fazer uma turnê com sua orquestra na Espanha e em Portugal e possivelmente na América do Sul e tudo isso em termos muito vantajosos. Além disso, o fato de poder vir mais tarde para se juntar a você decidiu me aceitar apesar de uma condição que me incomoda muito: é absolutamente impossível para o Sr. Ventura levar o André com ele.

Na idade de quinze anos, Henri Salvador (1917-2008) se encantou com o jazz dos mestres Louis Armstrong e Duke Ellington e decidiu-se pela carreira musical. Um amor à primeira vista pela música de Django Reinhardt, ouvido no rádio, fez com que ele escolhesse seu instrumento: o violão. Henri e seu irmão mais velho, André, treinam dia e noite, até atingir seu objetivo: juntar-se a uma orquestra. Os irmãos Salvador tocam em Boulogne-sur-Mer, Paris e Nice, onde conhecem Ray Ventura (1908-1979), um grande compositor e músico de jazz francês, que escolherá Henri para uma grande turnê brasileira.

Vinte anos depois, Dans mon île é um enorme sucesso no Brasil: diz-se, inclusive, que essa música inspirou as primeiras composições da bossa nova, tratando-se de uma deliciosa mistura de jazz e samba.

Quando voltou ao Brasil em 2006, Henry foi recebido como rei. Colocou a marca de suas mãos na calçada mítica da Toca do Vinícius e cantou em dueto com Gilberto Gil, então ministro da Cultura, que o condecorou com a Ordem do Mérito e lamentou, dois anos depois, o desaparecimento de "um dos principais criadores da bossa nova".

Por que esse documento é raro?

Para quem ama música em geral e Bossa Nova, em particular, Henri Salvador faz parte dos grandes nomes para se possuir em sua coleção. Essa carta em especial, em plena Segunda Guerra Mundial, mostra o começo da carreira do artista quando foi chamado pelo renomado Ray Ventura para uma turnê na América do Sul e no Brasil; turnê muito importante para a história do artista e da Bossa Nova.