Menu
Carrinho 0

Desenho técnico do teto do Teatro Real de Turim

Até 3x sem juros, frete grátis, com certificado de autenticidade

  • R$ 1.650,00


Um renomado artista francês testemunha a renovação do teto do lendário Opera Regio, de Turim. 

  1. Desenho técnico do teto do Teatro Real de Turim, por Louis Poyet. Uma folha. Em francês. 38,4 cm x 24,7 cm. Antes de 1904, na Itália. Bom estado, lado direito um pouco deteriorado, mas sem afetar o desenho ou as anotações. Peça única.
  1. Desenho em aquarela de um mecanismo de fogos de artifício, autor desconhecido, provavelmente Louis Poyet. Uma folha. 23,4 cm x 19 cm. Supostamente antes de 1904, Itália. Bom estado, com um canto defeituoso e poucas manchas. Peça única. 

Texto original

"Assemblage de charpente employée tant sur la salle de peinture que sur le parquet de la scène du Théatre Royal de Turin. Dessinée (?) en Italie par Mr Poyet."|"Salle éclairée pour peindre les scènes du Théatre Royal de Turin." 

Tradução em português

“Montagem estrutural utilizada tanto na sala de pintura quanto no piso do palco do Teatro Real de Turim. Desenhado (?) Na Itália, pelo Sr. Poyet. "|" Sala iluminada para pintar as cenas do Teatro Real de Turim.”

 O Teatro Real de Turim é um monumento com arquitetura e decoração excepcionais, edifício fundamental para a história da ópera, uma arte que nasceu na Itália no século XVI. Construído e inaugurado 40 anos antes do Teatro Scala, no ano de 1740, o Regio se tornaria, desde seus primórdios, a maior sala da Europa e uma referência internacional no segmento; com estreias de ópera famosas, a sala tinha a capacidade de abrigar 2500 espectadores privilegiados. 

Louis Poyet foi o grande especialista na representação ilustrada das máquinas entre 1873 a 1910 e sua oficina terá mais de quarenta artesãos, todos fiéis servidores da ideologia veiculada pelas revistas populares da época: a da crença otimista no progresso material da ciência, uma visão de mundo inteiramente governada pelo determinismo e pela racionalidade mais absoluta.  

Sobre as duas peças, Simone Solinas, arquivista do Teatro Regio, diz:

“O maior é uma seção vertical da sala de cenografia, como era no antigo prédio (1740-1936). O nome Poyet é quase certo de Louis Poyet (1846-1913), e os desenhos devem ser de qualquer maneira antes de 1904, porque o teatro foi renovado consistentemente na época e a estrutura do telhado foi substituída por vigas de ferro em vez da antiga madeira. A sala de cenografia foi colocada no último andar do prédio para aproveitar a luz natural.

Não posso datar precisamente o desenho pequeno e colorido. É, sem dúvida, uma máquina de cena de fogos de artifício, e parece ser do século XVIII, quando esses tipos de efeitos especiais foram frequentemente colocados em cena.

O objetivo mais provável do Sr. Poyet era copiar um modelo para a restauração (ou para a construção) de um (novo) teatro. Muitas gravuras do Teatro Regio foram publicadas na Encyclopédie de Diderot et d'Alembert, e por isso foi o teatro mais procurado por muitas décadas, e um destino para os grandes excursionistas. Poyet sente a exigência de especificar que o desenho foi feito em Turim, muito provavelmente para garantir a fidelidade ao edifício original.” 

Por que esse documento é raro?

Documentos antigos relacionados a grandes monumentos históricos são raros e muito procurados pelo público, uma vez que eles normalmente são conservados por instituições públicas ou pelos arquivistas da própria instituição. Esse conjunto me parece interessante também por ter sido feito por Louis Poyet, renomado artista francês e um apaixonado por engenharia e arquitetura, em uma época em que o trabalho exigia grande precisão manual e talento, já que o autor não dispunha dos recursos tecnológicos que temos atualmente.

 


Documentos relacionados


Receba as novidades + Aprenda sobre o mundo fascinante dos documentos raros.