Fotografia da Floresta da Tijuca por Marc Ferrez
Fotografia da Floresta da Tijuca por Marc Ferrez
  • Carregar imagem no visualizador da galeria, Fotografia da Floresta da Tijuca por Marc Ferrez
  • Carregar imagem no visualizador da galeria, Fotografia da Floresta da Tijuca por Marc Ferrez

Fotografia da Floresta da Tijuca por Marc Ferrez

Preço normal
R$ 1.500,00
Preço promocional
R$ 1.500,00
Preço normal
Esgotado
Preço unitário
por 

O famoso fotografo Marc Ferrez tira uma fotografia da Floresta da Tijuca, no Rio de Janeiro, talvez um dos primeiros selfies da História. 

Fotografia original da Floresta da Tijuca por Marc Ferrez. 18 cm x 24.5 cm. Brasil, Rio de Janeiro, ~ 1880. Papel amarelado, bom estado. Peça única.

Marc Ferez (1843 - 1923), um dos pioneiros da fotografia no Brasil, nasceu na cidade do Rio de janeiro, onde construiu seus ideais profissionais como fotógrafo. Versátil, plural e inquieto, construiu seu trabalho em consonância com a natureza. Iniciou seu contextualizado ideal em 1865, quando inaugurou, de forma aprimorada, a “ Casa Marc Ferrez & Cia” em sua terra natal. Foi casado com a francesa Marie Lefebvre, em 1873, ano em que seu atelier fora destruído por um incêndio. Essa tragédia não lhe inibiu a persistência em continuar sua arte. Foi a Paris, comprou novos equipamentos e deu asas ao sucesso, contemplando o cargo de fotógrafo da Comissão Geológica e protagonista de várias obras que absorviam o meio ambiente.

A Floresta da Tijuca foi seu recanto inspirador para elaboração de vários trabalhos. Em 1861, Dom Pedro II, Imperador do Brasil, criou um programa de recuperação da área, que havia sido desmatada para fazer carvão. Para construção desse projeto que durou cerca de 13 anos, contou com a ajuda de 100.000 escravos. Hoje em dia, a Floresta é um dos principais pontos turísticos do Rio de Janeiro, espaço exuberante de diversas plantas, árvores gigantes e cachoeiras, lugar importante para os cariocas. É também reguladora do clima da Cidade Maravilhosa. 

Esta foto chamada “Tijuca La Floresta”, assinada por Marc Ferrez, constitui uma obra de rara mostragem. Foi produzida e titulada na chapa, impressa em papel albuminado. A figura do homem, que contempla estaticamente , parece extasiado com aquele arranha-céus em meio à luz e sombras. Não se pode imaginar que seja outra pessoa, a não ser Marc Ferrez, apaixonado pelo que seus olhos enxergam. A impressão é que ele se sente uma antítese diante do desdobramento gigantesco que empodera aquele momento.

Por que esse documento é raro ?

As fotografias originais de Marc Ferrez são muito procuradas, especialmente pelos colecionadores cariocas e estrangeiros que visitam o Rio de Janeiro. A temática incomum, o grande formato e o excelente estado de conservação destacam essa peça.